Alimentos funcionais: Veja como melhorar a qualidade de vida

Alimentos funcionais, quem nunca ouviu este termo não é mesmo? Já não é de hoje que ouvimos dizer que a boa nutrição exerce papel fundamental na prevenção e na redução dos risco à saúde. E esta preocupação está cada vez mais presente no cotidiano das pessoas. Mas fica uma pergunta no ar: Todos sabem quais alimentos fazem parte destes tão falados “alimentos funcionais”?

Azeite de oliva, soja, peixes e iogurtes fazem parte de uma poderosa lista. Cada vez mais pesquisas relacionam o consumo desses, e de outros itens, à prevenção de doenças cardíacas, câncer, envelhecimento, problemas intestinais e até sintomas da menopausa. Por causa desses estudos, tais alimentos ficaram conhecidos como funcionais.

O que são Alimentos Funcionais?

São ingredientes que, além da função nutricional básica, podem alterar seu metabolismo e produzir efeitos benéficos à saúde. Não é cápsula, não é tablete, é alimento.

Então o que deve-se comer? Calma.. Não estamos sugerindo montar um cardápio com apenas azeite e peixe, o que seria uma grande loucura! Primeiro, porque os mesmos alimentos diferem entre eles. O tomate de uma região é diferente da outra. Conta também o seu modo de vida. Isso influencia na maneira como os alimentos agem no seu corpo. Ou seja, os alimentos só são capazes de oferecer benefícios quando a dieta é correta, entendeu?!

Preparamos algumas dicas para ajudar  no que você precisa saber sobre o que os principais “ingredientes” desses alimentos funcionais. Vamos à eles:

Peixes marinhos

Não à toa, O principal “ingrediente” dos peixes, o ômega 3, virou moda. Eles melhoram da gordura do sangue, têm ação antioxidante e melhoram o funcionamento do sistema imunológico. O maior benefício mesmo é para a saúde do coração. É que eles ajudam a reduzir os níveis de triglicérides e as placas de gordura nas veias e artérias, que são responsáveis por causar doenças. Há evidências de que o ômega 3 não apenas ajuda a prevenir arritmias, aterosclerose e infartos em pessoas saudáveis como também reduz a incidência de eventos cardíacos e de mortalidade em pacientes com doenças preexistentes.

Soja

Diversas substâncias presentes na soja estão relacionadas à saúde e ao bem-estar feminino. É o caso das isoflavonas (que são compostos orgânicos naturais de origem vegetal). Quando absorvidas atenuam os sintomas da menopausa, como fogachos, irritabilidade, insônia, depressão, ressecamento vaginal. Elas também contribuem para a manutenção da saúde do sistema nervoso. E tem mais: reduzem os riscos de câncer de útero, ovário e mama, e aumentam a eficácia da radiação para exterminar o câncer de pulmão.

Suco de uva integral

A uva escura possui substâncias antioxidantes, principalmente em sua casca e sementes, que estão relacionados à redução do risco de doenças cardiovasculares e formação de câncer, coágulos e inflamações. Também vale lembrar que a uva é fonte de vitamina C e dos minerais ferro e potássio, portanto combate o envelhecimento precoce, e tem uma ótima quantidade de fibras, que contribuem para o bom funcionamento do intestino.

Frutas vermelhas

Aqui se encaixa a framboesa, amora, mirtilo e o bom e velho morango. As frutas vermelhas são ricas em vitamina C, superimportante para manter a pele jovem e saudável, elas têm ácido elágico, também encontrado em diversas frutas e legumes como as castanhas, framboesas, morangos, mirtilos, nozes e romãs potente para o sistema imunológico. Essas frutas têm flavonóides que são compostos químico compostos com efeito antioxidante, ou seja, que tem ação sobre a formação de radicais livres e a diminuição dos níveis de LDL, o colesterol ruim.

Chá verde

O chá verde, que é produzido da Camellia sinensis, contém catequinas, antioxidantes que combatem os radicais livres. Ele também protege contra Alzheimer e demência. Associado à cafeína presente no chá, ajuda a acelerar o metabolismo, o que contribui para a perda de peso. Além disso, melhora a função celular do sistema circulatório. E tem mais: estudos recentes mostram que ele pode proteger contra o glaucoma e outras doenças da visão.

Aveia

Cuida do coração, combate o envelhecimento precoce e turbina o corpo com minerais e vitaminas. Ela possui um tipo de fibra solúvel chamado betaglucana, que reduz a absorção do açúcar. Reduz também os níveis totais de colesterol, bem como o LDL — e sem efeitos adversos no HDL. Mais vantagens: a aveia carrega poucas calorias e gorduras, além de fornecer vitaminas, especialmente as do complexo B, e minerais, como manganês, selênio, fósforo e magnésio, e contém compostos que têm função antioxidante.

Linhaça

A linhaça reúne minerais (ela possui mais potássio que a banana!), proteínas e vitaminas, inclusive a E, que combate o envelhecimento precoce e doenças degenerativas. Tem fibras, turbina a saúde cardíaca e também é rica em ômega 3. Para completar, a linhaça possui uma substância chamada lignana, que funciona como uma versão “falsa” do hormônio estrógeno, o que ajuda no controle de peso na época da menopausa. A semente de chia também pode ser usada em substituição.

Probióticos

Adicionados a iogurtes e leites fermentados, esses micro-organismos chegam vivos ao intestino, onde se reproduzem. O intestino trabalha como um reloginho. Mas os probióticos vão além: fazem um bem danado ao sistema imunológico, porque eles impedem que bactérias e outros organismos nocivos se reproduzam e comprometam a saúde. Já foi comprovada sua eficácia no tratamento de pneumonia, síndrome do intestino irritável, úlceras e rotavírus.

Fica a dica: antes de incluir ou excluir algum alimento na alimentação procure um nutricionista que vai analisar o seu perfil e criar uma dieta personalizada.

Fonte: http://guiadocorpo.com

Comentários do Facebook

Deixe um comentário (Vamos adorar!)