Covid-19: Pacientes com câncer não deve interromper o tratamento alerta especialista

Fique à vontade para Compartilhar com amor com seus amigos! ❤

Os dados analisados até o momento, em todo o mundo, indicam que pessoas com câncer e em tratamento contra a doença estão mais vulneráveis ao novo coronavírus. Esses pacientes, que estão com o organismo debilitado, correm um risco maior de desenvolver um quadro grave de Covid-19 e, por isso, precisam tomar cuidados a mais para evitar o contágio.

“Fazem parte do que tem sido considerado grupo de risco os pacientes com câncer ativo ou que estão realizando tratamentos contra a doença, como quimioterapia ou radioterapia”, explica o Dr. Tiago Kenji Takahashi, coordenador médico do Instituto de Oncologia do Hospital Santa Paula.

O oncologista esclarece que tanto a doença quanto os recursos terapêuticos normalmente empregados para combatê-la deixam o organismo debilitado. Tratamentos quimioterápicos e radioterápicos interferem no sistema imunológico e diminuem a capacidade do organismo de se defender contra o vírus Sars-Cov-2. Sem essa proteção, o invasor consegue se multiplicar rapidamente e essa evolução agressiva pode levar a um agravamento do quadro geral.

Segundo a Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica, estão sob maior risco os pacientes com tipos de câncer que afetam o sangue, como leucemias e linfomas, pessoas que passaram recentemente por transplante de medula óssea ou que estejam em tratamento com quimioterapia.

Segundo o Dr. Tiago Kenji, quem se curou há algum tempo e está apenas em vigilância já está com sua imunidade restabelecida e, por isso, não faz parte do grupo de risco.

Já quem se encontra em uma situação mais fragilizada deve tomar precauções para não se contaminar com o novo coronavírus. Entre as recomendações mais importantes estão evitar o contato físico com outras pessoas, especialmente beijos, abraços ou apertos de mão, e permanecer em isolamento a maior parte do tempo.

Para a maioria dos pacientes, no entanto, as saídas de casa para realização de tratamentos devem ser mantidas. O oncologista aponta que interromper as terapias contra um câncer pode, em muitos casos, representar uma ameaça maior à saúde do que o vírus.

O mesmo vale para aquelas pessoas que acabaram de receber o diagnóstico. A decisão final sobre dar sequência ou não aos tratamentos, no entanto, deve ser tomada pelo paciente em conjunto com seu médico.

Se uma pessoa com câncer começar a sentir sintomas de gripe que podem indicar que ela está contaminada pelo novo vírus, como tosse, coriza ou febre, ela deve buscar aconselhamento imediatamente.

“O paciente pode, pelo menos, fazer uma ligação para o médico e consultá-lo à distância”, aconselha o oncologista. Consultas de rotina também podem ser substituídas por uma conversa em vídeo, recomenda.

LEIA MAIS: Projeto “Conhecendo a Alma do GRAACC” busca engajar e motivar o grupo de voluntários.


Fique à vontade para Compartilhar com amor com seus amigos! ❤

POST A COMMENT.