Culpa: você sabe como lidar com ela?

Compartilhe com amor para seus amigos!

Para Freud os sentimentos de culpa emergem devido ao conflito entre o superego e as pulsões. Ou seja, entre o que desejamos e o que nos é proibido pela norma social interiorizada durante nosso processo de aculturação.

Lacan irá dizer que a culpa só ocorre quando o sujeito cede sobre o seu desejo. Na verdade, essa errância do desejo que marca o sujeito na contínua construção e desconstrução da própria identidade atua como um sintoma no qual ele acredita que irá encontrar satisfação. Ou seja, a busca pela felicidade é um sintoma.

Já percebeu que em alguns casos somos incapazes de suportar o próprio sucesso quando o logramos. Que ambiguidade é viver! Por que será? Parece que tem coisa escondida aí!! Sim, e tem, esse ceder ou não sobre o desejo sempre irá colidir com questões éticas, com a moral. E a vida, quer saber, ela se trata mesmo de apostas.  E como lidar com isso?

Devemos saber, como a psicanalise mostra, que o sentimento de culpa inconsciente não é experimentado somente como culpa, mas é sentido como uma doença. Já no consciente a culpa aparece como uma angústia.

Vem carregada do sentimento de vergonha, injustiça, da perspectiva de que se cometeu um erro fundamentado na dura realidade de não ter satisfeito as próprias necessidades ou as alheias!

Quando se desdobra no sentimento de raiva constrói relações conflituosas às vezes encobertas pela indiferença ou mantendo um barril de pólvora camuflado prestes a explodir.

É importante tratar esses sentimentos conflitantes gerados de nosso ceder sobre o desejo não como algo do qual somos culpados, mas sim, pelos quais somos, responsáveis.

Culpabilizar o outro, o mundo exterior ou a si mesmo pelas angústias vivenciadas não trará alívio, não ajudará muito a chegar à cura.

É necessário indagar qual a responsabilidade, a parcela que temos naquilo que nos faz sofrer. Ou seja, precisamos assumir o verdadeiro e real desejo sobre o qual cedemos.

Aquele que insistimos em esconder embaixo do tapete mantendo-nos alienados e falsamente íntegros em nossa identidade.

Implicar-se, responsabilizar-se, pode ser doloroso, mas é o caminho mais eficaz para encontrar as respostas sobre si mesmo e vencer as próprias angústias.

Ilustração: Alberto Benett (@albertobenett)

Lilian Palhares

Artigo escrito por Lilian Palhares, Psicanalista e Teóloga, com consultório na Vila Nova Conceição. Lilian Palhares é formada pela Universidade Mackenzie, com especialização em Linguística pela Université Lumière de Lyon, França. Capacitação PREAUT / Prevenção em Autismo pelo Instituto Langage. Pesquisas sobre a singularidade e os problemas psíquicos já detectados na primeira infância e no bebê juntamente com a saúde mental da criança e do adolescente na contemporaneidade.

Atendimento a casais, adultos e adolescentes. Atendimento em Inglês, Francês e Português.

Tel.: (11) 97206-4561
Email.: lilianmpalhares@gmail.com
Instagram: @palhares.lilian
Lilian Palhares

Últimos posts por Lilian Palhares (exibir todos)


Compartilhe com amor para seus amigos!

Deixe um comentário (Vamos adorar!)