E-commerce no Brasil: previsão para 2017

E-commerce no Brasil, Como será esse cenário? O que esperar para 2017? Bem… se você não está muito ligado nesse mundo, e-commerce, em português comércio eletrônico, é a modalidade de comércio que realiza transações financeiras por meio de dispositivos e plataformas eletrônicas, como computadores, tablets e celulares. Bem… até aqui nada de novo.

Aqui está uma coisa que você tem que se atentar. A previsão para 2017 é que o e-commerce no Brasil deva crescer 12% em relação a 2016 e faturar R$ 59,9 bilhões, de acordo com previsão da ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico). O ano deve registrar mais de 200 milhões de pedidos nas lojas virtuais.

A expectativa é que atinja a marca de 38,5 milhões de compradores únicos nas 71 mil lojas virtuais existentes, consolidando a tecnologia no cotidiano dos brasileiros. Além disso, a participação das PMEs no faturamento do comércio eletrônico deve aumentar para 25% no e-commerce no Brasil.

Em 2016, o e-commerce cresceu 11% em relação ao ano anterior e obteve um faturamento de R$ 53,4 bilhões. O ano fechou com 179 milhões de pedidos.

“O e-commerce resiste à crise econômica no país e segue crescendo, cada vez mais atrativo para consumidores e empreendedores. Este mercado continua contratando e gerando emprego e arrecadação”, comenta Mauricio Salvador, presidente da ABComm.

E-commerce no Brasil: o que vai estar em alta

Alguns segmentos estão em alta no e-commerce no Brasil: acessórios automotivos, venda de pneus, decoração para casa, equipamento de som, produtos de beleza, relógios, óculos,

e-commerce no brasilMas para quem quer vender na internet é importante planejar a logística e não pode deixar de pensar, e muito, onde e como vai investir, para quem falar, onde colocar sua marca e sempre procure uma agência de confiança que ajude nessa jornada, pois as redes sociais são uma ótima opção para fazer negócios, mas se não tomar cuidado, pode tirar o foco de seus objetivos.

Esse é o cenário, e sua empresa vai ficar de fora? Hummm… não achamos uma boa ideia!

Quer saber porque o e-commerce no Brasil tem crescido mesmo em um ano cheio de problemas como em 2016? Os padrões de consumo mudaram. Para ajudar você nessa empreitada, trouxemos, cinco dicas para vender pela internet:

Redução de tempo e custos são os atrativos:

Comprar pela internet é fácil e rápido. Com sua empresa não pode ser diferente. Fique de olho no comportamento do seu consumidor, para quem tem pouco tempo, sabe o que deseja e já teve uma experiência com o produto em uma loja física, é comum acessar o site, conferir o modelo exato do produto e efetuar a compra.

Flexibilidade no pagamento:

Assim como as lojas físicas, as transações online oferecem inúmeras modalidades de pagamento. Para você ter uma ideia, no e-commerce da Samsung, o consumidor pode parcelar em até 12x, além de contar com a possibilidade aproveitar as demais promoções e os benefícios próprios da marca.

Atendimento:

Pela internet, assim como nas lojas físicas, o consumidor tem que se sentir protagonista de sua compra, podendo pesquisar e escolher confortavelmente o item que procura, e sem complicação. Sua plataforma digital terá que ter uma central de atendimento, para tirar qualquer dúvida sobre produtos ou transações.

Segurança:

Muitas pessoas ainda têm receio de fornecer seus dados em um canal online. Portanto o consumidor tem que se sentir à vontade e confiar que está em um ambiente seguro para realizar suas compras, e também que sentir que suas informações não serão compartilhadas de forma indevida.

Praticidade:

Especialmente em época de datas, a praticidade de poder enviar um presente até a casa de uma pessoa querida de forma rápida é um diferencial para quem está ocupado e sem tempo nessa correria do dia a dia.

Por isso, planejar a logística não pode ser segundo plano. É preciso pensar no envio do produto e escolher um serviço de entrega de confiança. Lembre-se, parte do sucesso está em acompanhar a pós-venda e sempre saber se o cliente ficou satisfeito.

Com essas dicas em mãos, é hora de seguir em frente, cabeça erguida e “bóra” encarar o cenário do e-commerce no Brasil… bons negócios!

Deixe um comentário (Vamos adorar!)