MasterChef Aritana Maroni, Na Vila Nova Conceição

Spread the love
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

MasterChef! Aritana Vacari Maroni dos Santos, 36 anos, vai completar 37 em 16 de novembro, é uma das participantes da segunda edição do MasterChef da TV Bandeirantes, mora em Moema e frequenta a Vila Nova Conceição.

É muito fácil gostar de Tana, como é chamada pelos amigos e parentes. De personalidade forte, mas com um grande coração, muita simpatia e um jeito simples de ser, nos proporcionou uma tarde com um bate papo super agradável e descontraído, recheado de boas risadas e divertidas histórias.

Esse encontro aconteceu no Mercearia Pracinha, localizado Rua Brás Cardoso, 342 – Vila Nova Conceição. Assim que conversamos com Milton Del’ Nero Jr, proprietário do restaurante, ele topou na hora nosso pedido em ir até o local para receber Aritana e realizar a entrevista.

Gostaríamos também de deixar nosso agradecimento ao Marie-Madeleine Boutique Gourmet, na rua Afonso Brás, que gentilmente também se dispôs a nos receber. Com certeza teremos uma nova oportunidade de fazer outras entrevistas por lá.

Aritana Maroni em um bate papo super bacana com Ilana Alves e Milton Del' Nero no Mercearia Pracinha.

Aritana Maroni em um bate papo super bacana com Ilana Alves e Milton Del’ Nero no Mercearia Pracinha.

Mas voltando a Aritana… Mãe de Igor de 9 anos e Manuela de 7 anos, Aritana é casada, há 15 anos, com Paulo Rogério e entre um trabalho e outro, ela sempre consegue um tempinho para conversar e dar atenção para todos.

Filha de Oscar Maroni, é a mais velha entre outros 3 irmãos, Aruã, 33, Aratã, 28, e Acauã, 26 anos.

Muito feliz em ter participado do MasterChef Aritana Confessa: “Eu não fui atrás dos R$ 150 mil. Todo mundo sabe quem é meu pai. Não foi por conta do dinheiro. Para ganhar dinheiro eu vou trabalhar, eu tenho dois braços, duas pernas, trabalho desde cedo, eu vim atrás da experiência. O que o programa realmente me proporcionou!”

Aritana também costuma dizer que para ela cozinhar é brincar, e se diverte muito fazendo isso. “Chef de cozinha eu não sou, isso é uma discussão que eu tenho, para você ser considerado Chef de Cozinha tem que ter feito faculdade. Eu sou Cozinheira!”

É nesse ritmo descontraído e muito próximo que Aritana começa nosso bate papo e que você acompanha na sequencia!

Vila Nova Conceição SP: Em primeiro lugar, como surgiu a paixão pela culinária?

Aritana Maroni: Minha mãe e meu pai iam muito para o interior porque a gente mexe com gado de corte. Como eles viajavam muito eu ficava em casa com minha avó, mãe da minha mãe.

Meus avós maternos são italianos, então no final de ano a tradição era juntar a família para montar massas. Meu avô ia uns três dias antes para a casa da minha mãe e fazia ravióli, canelone, mil coisas. E como eu acompanhava todo o processo, aprendi muito.

Conforme eu fui crescendo, fui ficando sozinha em casa, naquela época dava para ter uma pessoa para ajudar e eu e meus irmãos ficávamos com a moça.

Eu tenho 3 irmãos homens gigantes, e para sustentar 3 adolescentes grandes dentro de casa não é fácil! Foi ai que começou a brincadeira.

Eu ligava para a minha avó e perguntava como que fazia determinado prato que estávamos com vontade de comer. Ela explicava e eu fazia.

Tudo fica mais fácil ainda porque eu costumava ver o programa da Palmirinha, com a minha avó. Eu gostava também do Programa do Daniel Bork, que na época era da Gazeta e não da Band, eu gostava de ver a Ana Maria Braga, que também não era na Globo.

Minha avó paterna também cozinhava, mas como ela mora na praia costuma fazer mais peixes, ela tem apartamento no Ilha Porchá, eu descia com ela ia pegar os peixes no Perequê e ela me ensinava a limpar.

Então, a minha brincadeira de cozinha foi um amor que começou desde cedo, nasci em uma família que gosta de cozinhar e de comer bem!

Vila Nova Conceição SP: Teve algum momento que você pensou em trabalhar especificamente com culinária?

Masterchef

Aritana conta que sempre foi apaixonada pela culinária. Desde pequena cozinhava com os avós.

Aritana Maroni: Quando eu terminei o colégio tentei correr atrás desse sonho. Hoje eu tenho 37 anos, há 20 anos, não tinha faculdade de gastronomia. A única opção que eu tinha era ir para fora.

Meu pai até cogitou essa possibilidade, mas eu não falo inglês. Meu italiano é muito bom, estudei no Colégio Dante Alighieri, mas o inglês preciso melhorar. E, naquela época não existia toda essa possibilidade de tradução simultânea que agora a faculdade desenvolve.

Aqui no Brasil descobri que a uma faculdade que abordaria alguma coisa de cozinha era o curso de hotelaria de 4 anos, mas o foco não era a culinária. Por mais que meu pai já tivesse a ideia de trabalhar com hotelaria meu foco era a cozinha.

Outra paixão que eu tinha era o cinema. Então, acabei indo para a faculdade de cinema e me formei na Faap e fiz o curso de fotografia colorida e preto e branca da Escola Panamericana.

Fui para a área de cinema e acabei trabalhando com a parte de alimentação de site. Depois uma amiga minha, que é sobrinha da Valéria Prata, do MAM, fazia eventos no local. Comecei a trabalhar nessa área e o pessoal perguntava porque eu não fazia produção de comida e acabei voltando para a parte de comida, junto com fotografia e cenário.

Depois casei, tive filho e não deu mais trabalhar com cinema porque você tem hora para entrar, mas não tem hora para sair.

Quando eu era pequena fui judiada por baba. Minha mãe me pegou trancada num quarto então, eu tenho esse trauma e minha mãe também. Meu pai e meu marido também não queriam outra pessoa cuidando das crianças.

Até uns 3, 4 anos fiquei trabalhando de casa, foi quando sai das duas áreas e fui ajudar meu pai na empresa.

Vila Nova Conceição SP: E o que você fazia?

Aritana Maroni: Hoje eu sou compras antes eu era compras e marketing, fazia toda a parte de mídia para ele.

A minha sala de escritório tinha berço, tinha micro-ondas, mamadeira, chupeta. Quando eu engravidei do segundo, ai meu pai falou “eu sei que você workaholic, mas vai ter que parar”.

Fiquei 2 anos em casa vendendo comida congelada.

Fazia e vendia para várias amigas que trabalhavam em grandes empresas. Elas me ligavam e pediam comida. Eu fazia porções pequenas e vendia para elas.

Tenho uma amiga que é personal trainer e começaram a vim pedidos de dentro da academia que ela trabalhava.

Foi ai que eu comecei a vender caixas com mil calorias para as pessoas que queriam emagrecer e tinham uma dieta de academia. A gente fazia uma entrevista com a pessoa, ela preenchia o formulário, e de acordo com a necessidade dela eu montava uma dieta e entregava todos os dias pela manhã uma caixa com toda a alimentação do dia.

Aritana

Aritana e seus bloquinhos. Ela disse que anota tudo nos bloquinhos. Quando chega em casa passa a limpo.

Vila Nova Conceição SP: Continua com esse projeto?

Aritana Maroni: Não, agora estou com uns projetos de rua. Comecei sozinha no bar de um amigo meu, bar de adega de cerveja, ele não tem alimentação.

Eu já estava no MasterChef, e ele me convidou para fazer sopa. Foi meio que um teste para ver o que ia acontecer.

Eu comprei um fogaozinho, peguei as panelas da minha mãe e topei!

Conclusão: vendi 80 sopas em um dia, em 4 horas, por R$ 15,00. Bom, comecei essa brincadeira e uma vez por semana eu ia no bar dele e vendia as sopas, mas tive que aumentar a quantidade de sopa porque vendia muito.

Começou a esquentar eu tive que mudar.

Comecei a fazer Ragu com Polenta Mole, justamente a comida com a qual eu fui criada, aprendi com minha avó.

Virou uma piração! Cheguei a vendar 150 Ragus num dia.

Fui criada com “comida de tropa” que são as baciadas e decidi fazer aqui em São Paulo. A galera pira!!!

Eu faço galinhada, arroz com carneiro, arroz com suã, que foi o que eu entrei na Pracinha Gourmet, na Vila Olímpia.

Vila Nova Conceição SP: Você pretende fazer um foodtruck?

Aritana Maroni: Sim, sim. Eu estou indo atrás, e descobri que isso é um brinquedo caro, eu vi que eu precisaria de um “paitrocínio” (risos).

Vila Nova Conceição SP: Agora falando um pouquinho do MasterChef. Qual a sua relação com os outros participantes do MasterChef?

Aritana Maroni: Quem vê o programa percebe, você acaba criando uma amizade, eu ficava 18 horas, trancada. A gente brincava e falava, vamos juntar os maridos porque ai eles não ficam tão sozinhos e a gente fica junto.

Conforme foi indo, eu o Fê e o Raul fechamos anyway o que acontecer é a gente…

Temos essa brincadeira dos 4 estarmos juntos e acabamos trazendo o Gustavo que estava sozinho lá em Belo Horizonte.

Cada um organiza um evento em um lugar e a gente se organiza com os horários.

Vila Nova Conceição SP: Vocês têm feito muitos eventos no interior. Como é essa experiência?

Aritana Maroni: Sim. É muito gostoso. Lá eles não têm essa variedade de comida de rua. Eles abrem os parques para nós.

Então, você pega, por exemplo, um sábado e um domingo dentro de um parque e é uma delícia…. Você está trabalhando e vê as crianças brincando, as pessoas passeando!

masterchef

“Eu não tenho medo de falar o que eu penso. Quando eu quero algo eu vou atrás. Meu pai sempre me ensinou a correr atrás dos meus objetivos. Nunca tive nada de mão beijada.” Aritana Maroni

Vila Nova Conceição SP: Como começaram as gravações para o youtube?

Aritana Maroni: O Gustavo começou com o Nós Noscada, em Belo Horizonte, eu e o Fe com o Bentida Colher aqui.

O Raul ficou preso porque como ele foi para a final precisou se concentrar nessa fase.

E agora estamos com essa encrenca para resolver se o Nós Noscada vai ficar só com um canal de Youtube e a gente monta um outro nome para a comida de rua ou se vamos globalizar tudo.

Eu trabalho de manhã no Bahamas a tarde fico sossegada consigo organizar essa parte de reunião e faço compras. Eu pego faço o caixa, a gente paga todos os gastos e depois divide com quem foi fazer o evento.

A brincadeira, eu acho, que tem que ser todos crescermos juntos. Eu nunca achei que tenho que subir em alguém para ser alguém.

Vila Nova Conceição SP: No MasterChef, em uma prova, você ajudou o pessoal com uma salada, não foi?

Aritana Maroni: Então, eu fui a única que lembrou de pegar a salada na prova da lasanha. Uma das obrigações dessa prova da lasanha era servir a salada, se eu não tivesse pegado minha salada e dividido entre 3 pessoas, automaticamente duas já estariam na fase de eliminação. O Jacquin falou para mim “você está sabendo que sua lasanha corre o risco de ser a pior e você ainda está ajudando os outros dois?”.

Eu disse: “não vim aqui para ganhar, prejudicando ninguém, não foi essa a criação que eu tive.”

Vila Nova Conceição SP: E na sua casa, como é a cozinha?

Aritana Maroni: Eu tenho toda a infra estrutura de fogão, transformei a parte de trás da minha casa. Eu moro numa casinha, dessas portuguesas pequenininhas, ela é alugada e a parte de trás é uma edícula, eu tirei o quarto de brinquedo dos meus filhos e transformei numa mini cozinha industrial. Já comprei o fogão, coloquei as bancadas de alumínio.

Tá acontecendo. É muito legal! Mas meu pai sempre me ensinou que por mais que as coisas estejam acontecendo a gente não pode dar as mãos pelos pés.

As vezes as pessoas acham que por conta do meu sobrenome, por conta do meu pai, que meu mundo é lindo, colorido, que eu sou uma playboy, e ando de carro importado.

Mas não é bem assim… eu ando de Fox, 1.0.

Eu tenho a minha vida. Quando eu morava com meu pai realmente minha vida era linda, papai pagava até gasolina do carro. Mas hoje eu sou casada, tenho 2 filhos, quem paga minhas contas sou. Eu trabalho, meu marido trabalha.

Meu pai me perguntou se eu queria uma ajuda, mas eu disse não. Eu quero tentar crescer por mim mesma, com meus pés.

Pode chegar uma hora que eu tenha que recorrer a papai, mas ele não é tão bonzinho, ele vai me emprestar e cobrar juros. (risos).

masterchef

Eu passei por 5 testes para chegar onde cheguei. Foi bem difícil, afirma Aritana durante a conversa.

Vila Nova Conceição SP: O que você aprendeu no MasterChef?

Aritana Maroni: Aprendi muito. Eu entrei lá sabendo cozinhar. Mas eu não tinha noção de como administrar uma cozinha. A brincadeira lá é que eles exigem muito da gente. Lá todo mundo tem que ser amador, ninguém pode ser profissional, só que a partir do momento que a gente está lá dentro, eles cobram um profissionalismo muito grande.

Tem a brincadeira do corte, a gente não entrou lá sabendo o nome Julienne, por exemplo. São 4 tipos de quadrados.

Tivemos uma grande ajuda da Paula Labac, que foi a pessoa responsável por toda a parte de alimentação e casting.

Eu passei por 5 testes para chegar onde cheguei. Por mais que as pessoas achem que o programa tem o “quem indica” não é verdade. Eu passei por 5 testes e 3 deles foram muito difíceis.

Vila Nova Conceição SP: Por que você quis participar do MasterChef?

Aritana Maroni: Era um sonho para mim. Eu costumava ver programa de culinária na minha infância. Então, eu fiquei na memória com essa brincadeira de culinária. Veio a TV a Cabo, que abriu esse leque muito louco de programas de culinária.

Começou com o Oliver, e depois veio o MasterChef Austrália, se não me engano foi o primeiro, há uns 4 anos. E a pessoa aqui viciou no programa. O TLC também apareceu com vários programas de culinária e eu comecei a querer brincar disso, mas para eu ir para fora não dava porque meu inglês não é muito bom.

Vila Nova Conceição SP: Você se inscreveu para o primeiro MasterChef?

Aritana Maroni: Eu ia me inscrever para o primeiro, mas não deu tempo. Fiquei mal, revoltei, chorei. Nos primeiros capítulos e não queria nem ver.

A hora que teve nova abertura, em dois dias eu mandei o vídeo.

Meu irmão ficou bravo comigo porque eu sou formada em cinema e entreguei um vídeo amador.

Eu resolvi que não ia perder tempo arrumando câmera, operador, editor, peguei o celular pedi para ligar a câmera e foi isso.

Mandei no dia de natal, fui viajar no ano novo, esperei um mês, passei os dias agarrada no telefone. A hora que eles me ligaram eu não acreditei.

masterchef

As vezes confundem a minha autenticidade com uma pessoa brava, mas eu não sou brava eu tenho personalidade!

Vila Nova Conceição SP: Como foram os teste para entrar definitivamente no MasterChef?

Aritana Maroni: Bom, no primeiro teste teríamos que levar um prato pronto e teríamos 5 minutos para finalizar na frente de um Chef de Cozinha. Foi nessa que eu fui apavorada.

O segundo teste foi na Anhembi Morumbi que seria mais ou menos a prova da caixa no programa de TV. Você levantava a caixa e tinha 50 minutos para produzir algum prato com o que tinha lá.

Depois teve um outro teste de prato, desta vez sendo filmado, várias câmeras em cima da gente um milhão de pessoas perguntando enquanto você cozinhava. Foi meio que um simulado do que acontece na TV. Além de saber cozinhar você tem que saber lidar com várias coisas ao mesmo tempo.

Quando eles me ligaram para falar que eu tinha passado para a fase final fiquei super emocionada, porque eles nunca falaram quantas fases a gente iria passar, nem quantas eram as classificações.

Eles também não davam uma data. A única coisa que diziam é que qualquer coisa eles voltavam a ligar.

Vila Nova Conceição SP: Quando você ficou sabendo que iria participar do MasterChef?

Aritana Maroni: Eu fiquei de dezembro até dia 13 de maio, sem saber o que ia acontecer.

Quando a Adriana me ligou eu estava na Avenida dos Bandeirantes, ela disse que eu havia passado, e agora seria eu contra os Chefs, e que teria que mostrar capacidade para entrar no programa. Eu tive que parar o carro em uma das ilhas da Avenida dos Bandeirantes porque eu não consegui dirigir. Comecei a chorar.

Parece piegas, mas era um sonho! Coisa de quem gosta de cozinhar, coisa de quem passou 4 anos da vida sentada na frente da TV, vendo esses programas e falando “meu… eu quero brincar disso!”

Lá no MasterChef, toda vez que aquela porta abria para eu gravar era como se eu estivesse vendo o Castelo da Disney.

Vila Nova Conceição SP: As pessoas sentiram diferença da Aritana dentro do MasterChef?

Aritana Maroni: Sim. Elas até falavam, que eu sou diferente do que eu mostrava no programa. Mas eu falo que lá dentro eu estava lutando por um sonho. Lá eu não podia ser a “boneca do posto” que gesticula, que fala alto, que brinca, eu entrei atrás de um sonho.

Vila Nova Conceição SP: O que o MasterChef te ensinou?

Aritana Maroni: A trabalhar com um monte de pessoas, entender o que é ser um Chef de Cozinha. Cozinhar em casa para os amigos é diferente de estar em um evento ou em um restaurante onde as pessoas estão esperando seu prato.

Aprendi a mexer com coisas novas como o ágar-ágar. Eu não sabia como eram feitos os quadradinhos de beterraba, quadradinhos de pimenta. Hoje eu sei que é através da gelatina natural. Você não precisa de geladeira, em 20 minutos seu preparo endurece.

Aprendi técnicas. Ou seja, quando for servir uma salada com quadradinho de beterraba, cenoura, que é a brincadeira da alta gastronomia, é só bater no liquidificador e misturar o ágar-ágar colocar na assadeira e esperar 20 minutos enquanto você faz outra coisa.

Outra coisa importantíssima, foi a família da cozinha que veio comigo. O programa trouxe essa amizade entre nós, uma amizade unida pela paixão de cozinhar.

Vila Nova Conceição SP: O que foi mais difícil no MasterChef?

Aritana Maroni: O psicológico com relação ao cansaço. Lá a gente falava que se trancassem a gente, não deixassem voltarmos para casa depois das gravações, seria mais fácil. Nós gravávamos das 8 horas da manhã até tarde da noite. Muitas vezes a gente dormia 3 ou 4 horas por noite.

No começo era mais complicado ainda, porque nós éramos em 18, então tinha que experimentar tudo, gravar tudo, todo esse processo levava muito tempo.

Lá na Band eles tratam a gente muito bem. Mas são vários processos de produção do programa. Tudo tinha horário: 8 horas café da manhã, depois tinha microfonar todos, fazer teste de microfone, organizar estúdio, organiza bancada…

Vila Nova Conceição SP: Tem algum item, algum prato que você ficou com medo de ser pedido no MasterChef?

Aritana Maroni: Eu tenho uma defasagem que é não fazer doce. Meu pai é diabético, eu não sou, mas tenho uma alta taxa de açúcar no sangue, então não como doce. O médico já me disse que se eu abusar posso ficar diabética como meu pai.

Meu medo maior era ter que fazer um doce. E foi o doce que me tirou do programa. Dancei por causa de um doce.

Vila Nova Conceição SP: E quando eles falam valendo! Como é?

Aritana Maroni: Valendo é valendo!!! Não é mentira. Por que se fosse mentira teríamos tempo de montar pratos homéricos!

A hora que você entra no mercado você não sabe nem o que fazer.

Você está dentro do mercado do sonho, com todos os temperos, mas você tem 2 minutos para pensar o que vai fazer.

Nessa correia teve um dia que joguei um camera men no chão.

E eles não pararam. O cara estava atrás de mim, ele era baixinho eu sou grande, eu virei com a panela não vi, foi ele, a panela, a câmera, tudo pro chão.

Eles não param. O valendo é real!

Vila Nova Conceição SP: Acabou de cozinhar e depois?

Aritana Maroni: Sai todo mundo do estúdio, vamos almoçar. Tira microfone, vai almoçar. Volta, põem o microfone… e fica esperando os 18 pratos serem comidos e avaliados pelos 3 Chefs. Enquanto isso a gente sai do estúdio e vai dar depoimentos.

Nos éramos divididos em 3 grupos para ir mais rápido.

Mas mesmo assim acabávamos entre 23h30 e meia noite.

Vila Nova Conceição SP: E quando você chegava em casa o que fazia?

Aritana Maroni: Você tem que estudar. Claro, além de cuidar do filhos e marido. Meu marido tem fotos minhas sentada na sala de pijamas com headfone e o leptop na mão dormindo. Ficava estafada.

A gente ficava doente, a Band dava vitamina pra gente, faziam suco de laranja com cenoura. Eles cuidavam da gente muito bem.

Perdi 5 quilos, fiquei 58 dias sem ver meus filhos, minha filha foi internada nesse meio do caminho. O dia que o fogaça falou que a filha dele estava internada a minha também estava, ele disse: “eu seu que é difícil, mas tem que segurar”.

Minha filha ficou 3 dias internada e minha mãe que teve que segurar a bronca. Eu tive que ser forte. Ela estava com asma.

Mas depois de toda essa correria se me perguntarem se eu quero voltar, eu respondo que sim.

Vila Nova Conceição SP: Que prato você mais gostou de cozinhar?

Aritana Maroni: As massas. Especificamente e lasanha. Eu olhava em volta e via as pessoas fazendo lasanhas homéricas. A Bel fez uma lasanha linda de pesto roxo, ela dançou porque quis fazer muita coisa e não consegui finalizar.

A gente não é avaliado pelo programa todo e sim por dia. Pensei logo em fazer o que aprendi com minha avó. Uma lasanha italiana: 30% de carne de porco, 70% de carne de boi , um bom molho de tomate, um béchamel com requeijão, mussarela, olhei do lado e pensei que naquele dia, eu não rodaria porque eu garantia a minha lasanha. E eu realmente ganhei com a lasanha da minha avó.

O melhor foi eu poder colocar em prática o que aprendi com minha avó e ainda ganhar.

Vila Nova Conceição SP: Você come bem?

Aritana Maroni: Sim. Eu sou a falsa magra. Eu gosto de prato cheio. Eu gosto dos restaurantes da Liberdade. Inclusive o MasterChef veio para me ensinar um pouco dessa alta gastronomia.

Vila Nova Conceição SP: No dia a dia você cozinha em casa?

Aritana Maroni: Sim. Faço almoço e jantar. Eu tenho uma moça que me ajuda uma vez por semana em casa. O resto é comigo.

Meu marido é descendente de portugueses, ele gosta muito de miúdos, então, na minha casa eu cozinho muito fígado, moela. A alegria do meu filho é quando eu cozinho uma panela de pé de galinha.

Um dos pratos que eu faço que meu pai mais gosta é rabada com polenta.

Gosto de um bife bem temperado, um feijão saboroso.

Vila Nova Conceição SP: Você tenta reproduzir as receitas das comidas que você come na rua?

Aritana Maroni: Nossa, o que eu mais amo é isso!!! Eu fui com meu marido e filhos no Cão Velho, restaurante do Fogaça, e lá tem um Bife à Milanesa recheado com queijo gorgonzola e gruyère, maravilhoso!!! A hora que você corta o bife os queijos estouram dentro da casca do bife.

Esses dias meus irmãos me ligaram e pediram para eu ir correndo para a mamãe para fazer essa receita.

Vila Nova Conceição SP: E os filhos cozinham?

Aritana Maroni: Minha filha cozinha. Chegamos a correr para inscrever ela no MasterChef Junior. É de família. Meus irmãos cozinham. Meu marido cozinha, ele me pegou pela barriga.

Vila Nova Conceição SP: Mora há quanto tempo em Moema?

Aritana Maroni: Há 5 anos. Nasci na Oscar Freire. Fomos crescendo e o apartamento foi ficando pequeno eu vim para a região do Paraíso. E de lá fui para Moema. Hoje eu moro em uma casa e tenho um Rottweiler.

Vila Nova Conceição SP: O que você costuma frequentar na região?

Aritana Maroni: Eu venho muito para a Vila Nova Conceição. Tenho uma amiga que mora aqui na Rua Baltazar da Veiga. Eu vivo aqui. Eu gosto da Praça Pereira Coutinho, quando as crianças eram menores costumava trazê-los aqui para brincar.

Em Moema eu gosto muito dos bares como o Barcearia, sou apaixonada pelo Joares, Frederico, amo o Shopping Ibirapuera, lá eu sei para onde eu vou, sei por onde entro, as pessoas das lojas já estão acostumadas comigo.

É engraçado que eu não cresci na região, mas eu vivia aqui, meus irmãos estudaram no Augusto Laranja, eles eram pequenos, mas iam a pé até o Bahamas.

Aqui todo mundo conhece meu pai, conhece a gente. É um bairro que eu ando descalça.

Acabava a gravação do MasterChef, não tinha o que comer em casa, eu ia no Porpetão que estava fechando e falava: “Tio…” e ele já completava “Arroz, bife, feijão, batata frita com ovo!” Ele já sabia o que eu queria.

Meu pai me ensinou “O fino é você ter um cartão e não precisar usar”, e hoje falta essa simplicidade nas pessoas, falta o “Bom dia”, a conversa do elevador, o bate papo com o atendente do caixa.

Por exemplo, eu tenho ido muito na Padaria Ceci, porque eles já sabem o que eu quero, as vezes as pessoas me conhecem por conta do programa e vem tirar foto, bater um papo e quando eu vejo meu pedido está na mão, os 150 de presunto, 150 de peru, 200 de queijo.

masterchef

“Eu sou meleca, brincalhona, amo minha família de paixão!” Afirma Aritana que nos recebeu com muita atenção e carinho! Só temos a agradecer! Sucesso sempre, Tana!!!!

Vila Nova Conceição SP: Gênero Musical preferido?

Aritana Maroni: Adoro rock, curto um sertanejo também. Adoro Dire Straits, mas também adoro curtir uma fossa!

Vila Nova Conceição SP: Quem é Aritana?

Aritana Maroni: A brincadeira do Tana é assim, eu sou da geração do Ari Toledo e algumas pessoas me chamavam de Ari e eu não gostava então ficou Tana.

A Tana é um “boneco do posto”! Me mexo toda, falo gesticulando.

As vezes confundem a minha autenticidade com uma pessoa brava, mas eu não sou brava eu tenho personalidade!

Eu não tenho medo de falar o que eu penso. Quando eu quero algo eu vou atrás. Meu pai sempre me ensinou a correr atrás dos meus objetivos. Nunca tive nada de mão beijada.

Se eu queria um vídeo game ele me dava e falava: “agora, invés de trabalhar até às 17h00 você vai até às 20h00, por 15 dias, e ai você pode tirar o vídeo game do armário.”

Ele queria que a gente aprendesse que é possível ter algo, mas é preciso valorizar. As coisas não vem fácil, você tem que trocar por alguma coisa.

Então, as pessoas confundem a Aritana filha do Oscar Maroni com a real pessoa que sou.

Eu sou meleca, brincalhona, amo minha família de paixão!


Spread the love
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe um comentário (Vamos adorar!)

Facebook Comments