#PraCegoVer: uma hashtag pela acessibilidade!

Compartilhe com seus amigos com amor!
  • 100
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    100
    Shares

#PraCegoVer: muito mais que uma descrição, uma hashtag pela acessibilidade!

Você já se deparou com a hashtag #PraCegoVer em algum post do Facebook? Pois bem, ela faz parte de um projeto da rede social para colaborar na introdução de pessoas com deficiência visual na plataforma.

A proposta é incentivar a cultura da acessibilidade, permitindo que, por meio da utilização da hashtag, qualquer pessoa consiga ter acesso ao que está presente na foto.

Cegos ou pessoas com baixa visão utilizam computadores e smartphones com softwares de acessibilidade, chamados “leitores de tela”. Estes programas reconhecem o material textual na tela em que se está navegando e o transforma em áudio, por meio de vozes sintetizadas.

Porém, esta ferramenta não descreve arquivos em formatos de imagem, como JPEG e PNG, por exemplo, tornando o conteúdo inacessível. Uma maneira de viabilizar a acessibilidade de imagens, tirinhas e gifs é descrevê-las na postagem, de forma direta e sem interpretação do conteúdo. 

Forma de usar a hashtag #PraCegoVer

O modo de usar a hashtag #PraCegoVer é simples e qualquer um pode utilizar. Basta adicionar a hashtag  #PraCegoVer com a descrição do que está presente na imagem, começando pela explicação do que a se trata, como figura, charge, desenho ou fotografia.

#DicaInclusiva: desenvolva um texto rápido e conciso sobre os detalhes, a sequência de imagens e escritas, sempre da esquerda para a direita e de cima para baixo. Não é necessário colocar cada cor de cada objeto, ok?!!

Bem, finalizado o trabalho, a definição deverá ser narrada por aplicativos de áudio descrição, facilitando a compreensão dos deficientes visuais.

Exemplos de páginas que usam hashtag #PraCegoVer

Para compreender melhor, basta procurar na internet páginas no Facebook que já utilizam esta ferramenta e auxiliam a leitura dos deficientes visuais, como nas páginas da Coca-Cola, do Conselho Nacional de Justiça e da Prefeitura da Cidade de São Paulo no Facebook.

Como surgiu a hashtag #PraCegoVer?

A ideia partiu da professora especialista em educação especial na perspectiva da educação inclusiva, Patrícia Braille, que buscou tirar a perspectiva dos livros para a internet. O conceito que antes era especializado para o Facebook, ganhou notoriedade, expandindo-se para outras plataformas.

Vale lembrar que 19% da população brasileira tem alguma deficiência na visão, 30% apresenta presbiopia (também conhecida como vista cansada) e 25% são analfabetos ou semi-analfabetos. Grande parte da população não tem acesso aos seus conteúdos.

Boas práticas para usar a hashtag #PraCegoVer

Uma maneira de viabilizar a acessibilidade de imagens e afins é descrevê-las na postagem, de forma direta e sem interpretação do conteúdo.

Dicas importantes para fazer descrição de imagens:

 Descreva o que você vê na imagem, sem julgamentos ou opiniões.

 Seja objetivo na descrição. Diga o suficiente para que a ideia geral seja transmitida.

 Em caso de memes, cujo intuito é, na maioria das vezes, cômico, a descrição também pode ser cômica, contanto que não confunda o leitor.

 Sinalize, antes da descrição, com alguma palavra ou expressão que mostre que a imagem será descrita. Assim, além de ser acessível, esta atitude será educativa para quem nunca pensou sobre o assunto.

#PraCegoVer vila nova conceicao

Unindo forças, a acessibilidade será possível em todos os âmbitos. Faça parte! 😎😃

Descrição da Imagem #PraCegoVer: plano de fundo branco. Ilustração com o símbolo de uma hashtag na cor azul e um símbolo da pessoa com deficiência visual no centro, cor branca. Rodapé: um quadrado na horizontal, cor azul claro com o texto: #PraCegoVer.

Lado direito, o logo da Prefeitura de São Paulo – Pessoa com Deficiência. – SMPED – Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência.

Vale lembrar que aqui no Portal de notícias Vila Nova Conceição SP nós decidimos tornar nosso conteúdo  acessível também através de áudio descrição e incluir milhares de pessoas com dificuldades de visão e leitura.

Desde o início de 2018 usamos o player da startup Audima que tem como objetivo democratizar o acesso a conteúdos online. Ahhhh… Se você é criador de conteúdo online, você também pode usar esse player na sua plataforma, e de graça (tem também uma versão paga). Em poucos minutos, seus artigos estarão disponíveis em áudio para as pessoas.

Leia também: 

XIX Encontro Internacional Virtual Educa
Aulas de teatro ajudam no aprendizado 
Robótica Educacional promove integração entre disciplinas curriculares


Compartilhe com seus amigos com amor!
  • 100
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    100
    Shares

Deixe um comentário (Vamos adorar!)