Vila Nova Conceição: progresso e melhorias fazem história no bairro

Compartilhe com seus amigos com amor!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Até meados de 2010, o cruzamento das ruas Domingos Fernandes e Jacques Félix, na Vila Nova conceição, Zona Sul da cidade, era palco de pelo menos nove acidentes de trânsito por mês, alguns graves. O trabalho da Associação de Moradores da Vila Nova Conceição foi importante para minimizar o problema.

Segundo o vice-presidente da entidade, Floriano Pesaro, na época, o local recebeu a primeira rotatória verde do bairro, que deverá ter mais 12 implantadas, no total.

Bonita e eficaz, no início, este tipo de rotatória – com pequena calçada, gramado e algum tipo de arborização –, foi motivo de discussão entre os moradores.

“Os acidentes não cessaram nos primeiros dias de sua implantação. A imprudência e falta de atenção causaram mais algumas ocorrências, o que assustou os moradores. Isso acontecia porque as pessoas passavam por ali em alta velocidade e nem viam a rotatória. Com o tempo o número de acidentes caiu de nove para dois e tem mês que zera”, afirma Floriano.

Também morador do bairro, Floriano explica que a rotatória tem a vantagem de eliminar a necessidade de semáforos e torna o tráfego mais calmo, pois os motoristas são obrigados a diminuir a velocidade.

Os locais onde terão as rotatórias verdes na Vila Nova Conceição:

  1. Baltazar da Veiga com Loureço de Almeida
  2. Baltazar da Veiga com Escobar Ortiz
  3. Lourenço de Almeida com Filadelfo Azevedo
  4. João Lourenço com Jacques Félix
  5. Domingos Fernandes co Lourenço de Almeida
  6. DOmingos Fernandexs com Escobar Ortiz
  7. Escobar Ortiz com Brás Cardoso
  8. Domingos Leme com Domingos Fernandes
  9. Domingos Leme com Filadelfo Azevedo

“A rotatória é um modelo tão bem aceito como medida de tráfego, que é utilizada na Europa e nos Estados Unidos. O recurso poderia ser melhor aproveitado no Brasil, mas nem todo motorista brasileiro respeita e/ou sabe utilizá-lo. A prioridade é sempre de quem está à esquerda ou já trafegando na rotatória, mas é comum você ver veículos pararem para dar passagem aos que vêm pela direita”, comenta Pesaro.

Ainda sobre o trânsito, a associação dos moradores trabalhou insistentemente e conseguiu transformar em mão dupla a Rua Afonso Brás, que entrou no trajeto de uma linha de ônibus que até então utilizava a Rua Baltazar da Veiga. Tais medidas melhoraram o fluxo dentro do bairro e deram mais segurança ao pedestre.

Com brilho nos olhos, Floriano contou que umas das suas grandes ações enquanto vice-presidente da Associação dos Moradores do Bairro de Vila Nova Conceição foi a retirada do gradil da Praça Cidade de Milão.

Na época, a população local foi contra, por medo de atrair problemas como venda e consumo de drogas e bagunça, em geral.

“Eu insisti na medida. As pessoas não entendiam que usar a praça era torná-la mais segura, com mais gente na rua”, explica. A Praça ganhou nova paisagem com o plantio de árvores nativas.

Graças ao empenho e trabalho da associação de moradores, a evolução do bairro de Vila Nova Conceição, comparando 2008 com o período atual, é notável.

Além do trânsito e da Praça Cidade de Milão, outras áreas tiveram melhorias. Iluminação pública é uma das mais importantes.

“Até 2012, as luzes eram brancas e o bairro ficava escuro, especialmente por ser muito arborizado. A associação conseguiu da Prefeitura a autorização para a troca das lâmpadas brancas pelas amarelas, que iluminam mais e são bem econômicas. A mudança contemplou todo o bairro, principalmente as praças, e trouxe mais segurança para a população”, conta Floriano Pesaro.

Escola Estadual Martim Francisco

A Escola Estadual Martim Francisco, aqui na Vila Nova Conceição, é de grande relevância para o bairro. Inaugurada em 1948, pelo então prefeito Adhemar de Barros, hoje é gerenciada pela Secretaria Estadual da Educação.

Pública e frequentada, em sua maioria, por filhos de trabalhadores do bairro, a escola teve o prédio tombado em 2016 pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (CONPRESP). O mesmo ocorreu com a Unidade Básica de Saúde Max Perlman (Vila Olímpia).

O tombamento foi uma luta da associação dos moradores, através do Floriano Pesaro, que atualmente aguarda da Secretaria Estadual da Educação um parecer sobre outra solicitação em prol da comunidade: a abertura da escola aos finais de semana para que os jovens possam utilizar as quadras e praticar esportes. Além de promoção de lazer, esporte e da socialização, a medida acarretaria em ações de conservação do espaço.

Por patrícia Pasquini

Leia também:

Na rotatória, quem tem preferência?


Compartilhe com seus amigos com amor!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe um comentário (Vamos adorar!)