Sociedade Brasileira de Diabetes apresenta dicas para montar uma lancheira saudável

Fique à vontade para Compartilhar com amor com seus amigos! ❤

A Sociedade Brasileira de Diabetes organizou uma série de dicas para alimentação nutritiva de crianças com e sem diabetes. Ter uma rotina alimentar saudável é primordial para que as crianças possam se manter ativas e atentas às aulas e atividades escolares.

Segundo Dra. Silvia Ramos, coordenadora do Departamento de Nutrição, Exercício e Esportes em Diabetes da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), é que: “É fundamental lembrar que as crianças, independente de terem ou não diabetes, necessitam de uma boa alimentação”.

A quantidade de alimentos ofertados deve variar conforme a faixa etária. O Ministério da Saúde possui guias orientativos com informações sobre as quantidades indicadas para cada idade e níveis de atividade física. Em casos especiais em que a criança precise de contagem de carboidratos, a orientação nutricional passa a ser baseada na recomendação diária para aquela refeição.

Além da importância de planejar os itens escolhidos, a interação entre adultos e crianças na montagem pode auxiliar não só na aceitação para com os alimentos, mas, também na socialização dos pequenos e autonomia para o futuro.

De acordo com a nutricionista, um erro comum na montagem de lancheiras é ter excesso de um grupo de nutrientes e falta de outros importantes para o desenvolvimento da criança. Para as crianças, é importante destacar a importância de que a refeição deve ser feita a mesa, junto com os demais colegas e que o momento seja focado na alimentação sem outras distrações.

Ela aponta ainda a necessidade de cuidados com alimentos que parecem saudáveis, mas podem ser pouco nutritivos. Alimentos industrializados e ultraprocessados, por exemplo, devem ser evitados.

É o caso dos bolinhos prontos, biscoitos com ou sem recheio, achocolatados prontos, refrigerantes, sucos de caixinha e salgadinhos. Suas formulações, na maior parte dos casos, são ricas em açúcares, gorduras saturadas e aditivos químicos. Por isso, a busca por alimentos naturais deve ser o primeiro passo.

A Dra. Silvia aponta que a melhor forma de organização é dividir os alimentos em três grupos:

  • Grupo de Carboidratos: fornecem energia e disposição para as atividades rotineiras. Exemplos: pães, torradas, bolos simples, cereais integrais, tapioca, panqueca, biscoitos integrais, tortas, pipoca, dentre outros;
  • Grupo de Proteínas: responsáveis pela formação de tecido e músculos fundamentais para o crescimento. E o caso do leite, iogurte, coalhada, queijos e ovos.
  • Grupo das frutas e hortaliças: possuem alto teor nutricional e ajudam na de saciedade. Além disso, são práticos para transportar e consumir. Ex.: Frutas frescas ou secas, tomate, cenoura e pepino.

Para completar montagem da lancheira, há os líquidos/ bebidas, assunto que ainda causa muitas dúvidas. “O ato de comer e beber ao mesmo tempo pode trazer problemas digestivos e, por isso, recomenda-se a ingestão de água apenas após do termino da refeição”.

Passo a Passo:

1. Planeje uma semana de lancheira e tenha todos os alimentos em casa.

2. Coloque a criança para montar a lancheira junto e vá explicando para que serve cada alimento.

3. Tenha os três grupos principais de alimentos em todos os dias da semana, mas varie a proporção. Exemplos:

a) Pão francês, queijo branco e kiwi;

b) Iogurte, cereal (aveia), morango;

c) Tomatinho, pão de forma com requeijão.

4. A água é a melhor fonte de hidratação. Evite sucos.

5. A qualidade do lanche depende tanto da temperatura quanto da higiene da lancheira, verifique sempre isto. Gelo rígido ou em gel pode ser usado para garantir que o alimento fique na temperatura certa por mais tempo.

LEIA MAIS: Coronavírus no Brasil saiba o que é e como se prevenir.


Fique à vontade para Compartilhar com amor com seus amigos! ❤

POST A COMMENT.