Outubro Rosa, também para pets? Saiba o que fazer


Outubro Rosa, também para pets? Muita gente deve estar imaginando que aqui na redação a gente enlouqueceu, mas não! Bem… quase, né! Mas isso é outra história.

Brincadeiras à parte, Outubro Rosa é o maior movimento que simboliza a luta contra o câncer de mama. O objetivo é incentivar a conscientização e prevenção da doença entre mulheres, principalmente.

Vale o alerta. Quem pensa que este mal afeta somente os seres humanos está muuuito enganado! O surgimento da doença está ligado a questões hormonais. Por conta disso, as fêmeas de qualquer espécie ou raça estão sujeitas.

Segundo estudos do Conselho Federal de Medicina Veterinária, estima-se que a incidência em fêmeas caninas seja de 45%, e que  aproximadamente 30% das gatas tenham diagnóstico para a doença.

Outubro Rosa, também para pets: como previnir?

Como a maioria das situações, a prevenção começa em casa com exames periódicos. De acordo com especialistas, a castração precoce pode reduzir significativamente o desenvolvimento da doença. As chances de desenvolver a doença cai para 0,5% quando a castração é feita antes do primeiro cio, até os nove meses, segundo especialistas.

Além do câncer de mama, a castração minimiza as chances de câncer de útero e da piometra, grave infecção uterina que costuma afetar muitas fêmeas que não passam pelo processo de castração.

É importante fazer um checkup de rotina para evitar surpresas ao longo do período que o pet estiver ao seu lado. Pois é, quantas vezes você já ouviu um amigo ou familiar dizendo que encontrou um caroço sob a pele de seu pet? Nesses casos é de fundamental importância o encaminhamento para um veterinário.

Outubro Rosa, também para pets: como examinar seu pet

Para examinar seu pet é simples, você pode colocar o pet de barriga para cima, para analisar cuidadosamente todas as mamas. Você deve deve ficar muito tento a qualquer aumento de volume das mamas, além de buscar nódulos.

Mas olha, as lesões podem ocorrer em uma ou mais glândulas e ter tamanhos diferentes. Por isso, o exame deve ser feito periodicamente, através da palpação de todas as mamas.

O ideal é que uma aconteçam visitas regulares, periodicidade de 6 em 6 meses, ao veterinário para ajudar a evitar essas – nada boas – surpresas.

Outubro Rosa, também para pets: meu pet foi diagnosticado com um tumor

Bem, falamos aqui sobre precaução, mas e se um desses exames for diagnosticado um tumor no pet? Esse é um dos  maiores pesadelos para quem tem um animal de estimação, não é?!

Ao identificar o tumor é fundamental que seja feita uma análise. Após a análise dos resultados, é o veterinário quem irá pedir uma série de exames como tomografia computadorizada, ultrassonografia de abdômen e radiografias de tórax para se certificar qual será o tratamento adequado e certificar em qual estágio a doença se encontra.

Caso realmente haja um câncer, é possível que inicie um tratamento com quimioterapia. Assim como nos humanos, a quimioterapia também tem efeitos colaterais nos pets.

É de suma importância o acompanhamento por um veterinário de confiança, semestralmente, depois desse tratamento para evitar novos problemas e manter a qualidade de vida desse animalzinho, que em muitos casos é considerado um membro importante e muito querido da família.

Outubro Rosa, também para pets: Atenção para os sinais!

O câncer de mama é uma doença silenciosa, com sinais sutis de identificação. Se o pet demonstrar sinais de tristeza, falta de apetite, febres ou vômitos, o alerta vermelho deve ser acionado.

Ninguém melhor do que o você para saber que algo está errado. Por isso dizemos que os donos precisam ficar atentos às mudanças no comportamento e do corpo do seu animal de estimação.

Mas sem dúvidas, se o pet for examinado frequentemente por um veterinário, a possibilidade de diagnóstico precoce, e de cura, aumentam consideravelmente.

Leia também: Câncer de mama: dúvidas, sintomas e atendimento

Deixe um comentário (Vamos adorar!)

Facebook Comments